“Tecnologias economicamente viáveis guiarão as empresas”

Para diretor da Siemens Brasil, José Borges, combinação de avanços é que trará mudanças para o mundo corporativo

  • 03/12/2019
  • Equipe IBGC
  • Eventos
backgroundImageAlt1

Evento aconteceu na sede do IBGC, em São Paulo

As recentes transformações globais trouxeram para a pauta cotidiana das companhias questões como novas tecnologias, avanços na gestão de pessoas, além da chamada internet das coisas ou IoT, na sigla em inglês. No entanto, na avaliação do diretor de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios da Siemens Brasil, José Borges, esses conceitos só serão plenamente incorporados pelas empresas com tecnologias economicamente viáveis. “A IoT será uma catalisadora dessa transição, mas só uma combinação de avanços trará mudanças significativas para os negócios”, afirmou.

Para ele, o caminho da digitalização corporativa não estará na “beleza” da tecnologia utilizada, mas em sua viabilidade financeira. “Não devemos pensar nos ganhos isolados com tecnologias. O grande segredo está na combinação dessas soluções, naquelas que fazem mais sentido e que irão gerar uma disrupção dentro do seu negócio. Qual a combinação ótima para a sua empresa?”, questionou. Atualmente, segundo Borges, oito bilhões de equipamentos estão conectados à IoT em todo o mundo, número que deve chegar a um trilhão até 2030.

De acordo com Borges, diante deste cenário desafiador, as companhias que não se adaptarem às atuais exigências, perderão a vez. “É preciso analisar como otimizar seus processos, via tecnologia e digitalização, e principalmente revisitar a forma como se faz negócio”, alertou.

Na experiência do diretor executivo de Tecnologia da Informação (TI) e Operações do Grupo Fleury, Claudio Prado, os impactos da cloud, a computação em nuvem, por exemplo, tem mudado de forma significativa o dia a dia das empresas. Prado, que também atua como conselheiro de administração da Valid e Sinqia, apontou a nuvem como uma capacidade disponível, virtualmente ilimitada e hiperconectada, com capacidade exponencial de armazenamento. “A nova realidade dos dispositivos móveis tem mostrado potenciais para além do portifólio previsível das companhias”, explicou.

Borges e Prado participaram do último Fórum de Debates do IBGC em 2019, realizado em 29 de novembro pela Comissão de Inovação do IBGC. Também foram palestrantes no encontro o responsável pela área de TI da Natura, Fernando Lemos, o chefe de TI da Suzano, Wilson Lopes, o chefe de Tecnologias Emergentes da Roche, Elton da Silva, e o conselheiro de administração da Sices Solar, Hamilton Moreira.

Confira as últimas notícias do Blog IBGC

Goldman Sachs quer mais diversidade em conselhos

Goldman Sachs quer mais diversidade em conselhos

24/01/2020

Banco anunciou que recusará IPOs de companhias com apenas conselheiros brancos e heterossexuais

Saiba mais
Notícias da semana: barragem em Brumadinho não era a que mais preocupava a Vale

Notícias da semana: barragem em Brumadinho não era a que mais preocupava a Vale

24/01/2020

Ministério Público traz lista de barragens da Vale em “situação inaceitável de segurança”; Brumadinho não era uma delas. Veja essa e outras notícias

Saiba mais
Para Paulo Salles de Toledo, sigilo é a essência da atuação do CAC-Conduta

Para Paulo Salles de Toledo, sigilo é a essência da atuação do CAC-Conduta

24/01/2020

Conheça a atuação do colegiado do IBGC responsável pela administração de conflitos de interesse

Saiba mais
Menos passado e mais futuro

Menos passado e mais futuro

23/01/2020

Especialistas traçam perspectivas para os conselhos de administração em 2020

Saiba mais
BB, Cemig e Natura compõem ranking global das 100 empresas mais sustentáveis

BB, Cemig e Natura compõem ranking global das 100 empresas mais sustentáveis

23/01/2020

Brasileiras foram citadas em lista da revista canadense Corporate Knights

Saiba mais
Conselho do futuro e o balanço entre propósito e ROI

Conselho do futuro e o balanço entre propósito e ROI

21/01/2020

Subgrupo Conselho do Futuro, da Comissão de Conselho de Administração do IBGC, fala em responsabilidade social e socioambiental

Saiba mais