Quatro passos para definir uma identidade familiar nos negócios

Coesão entre objetivos familiares e empresariais reforça continuidade das companhias

  • 05/06/2019
  • Mayara Baggio
  • Cursos

Diversos fatores podem determinar o sucesso ou o fracasso de uma companhia familiar. Em ambos os casos, a cultura da própria família costuma influenciar de maneira decisiva nos rumos da empresa.

Chamamos de identidade familiar os aspectos culturais, de valor e históricos da família empresária – geralmente personificados na figura do fundador do negócio e que podem interferir nas tomadas de decisão na companhia. Mesmo que essencial, a criação de uma identidade familiar que esteja alinhada aos planos empresariais nem sempre ocorre de forma consciente ou coesa nas companhias. A reflexão crítica serve de fortalecimento para o desenvolvimento futuro das empresas e seus desafios transgeracionais.

Veja quais são os primeiros passos que auxiliam na tomada de consciência da identidade da família empresária, de acordo com a publicação Identidade da família empresária – Um elemento de coesão para a continuidade dos negócios.

 1) Crenças e valores definidos: é comum que companhias espelhem a visão de seu fundador ou a forte cultura da família. Ainda assim, com o afastamento ou a perda de alguns entes familiares essas referências podem ser naturalmente perdidas ou afastadas do negócio. O primeiro passo para garantir uma identidade familiar sólida passa por uma reflexão das crenças defendidas por seus fundadores. Uma forma de materializar essa narrativa é recontar a história da família. Esse será o movimento de união que dará continuidade ao negócio, além de redefinir os valores e práticas válidos para todos os colaboradores e fornecedores da empresa.

2) Encontros entre familiares: mesmo que de maneira informal, a realização de encontros periódicos com toda a família auxilia a integração das diferentes gerações, reforçando a identidade da empresa mesmo diante de assuntos delicados ou entes distantes. Neste caso, o surgimento de conflitos é comum, o que pode ser interpretado como uma oportunidade de superação de conflitos, renovando os laços da família com o negócio.

3) Formalização da governança:  O terceiro passo para a definição de uma identidade empresarial é um momento de transição para regras mais claras e formais de governança. Com a família mais unida e focada no fortalecimento do negócio, aspectos discutidos em reuniões informais passarão a contribuir para revisar valores e crenças.

4) Governança consolidada: com a conscientização sobre a importância da identidade do grupo estabelecida, ações para o reforço da união do núcleo familiar ajudam na constante renovação das relações entre família e empresa. Nessa última etapa, a governança familiar conta com estruturas consolidadas por meio da realização de assembleias familiares, conselhos da família e o family office, por exemplo, que ajudarão na definição das prioridades da família e da empresa com uma visão de longo prazo. 


Confira os próximos cursos