Para FRC, companhias abertas britânicas ignoram mudanças radicais do novo código de governança

Na análise do regulador, empresas da região priorizam regras estritamente obrigatórias

  • 14/01/2020
  • Equipe IBGC
  • Pelo Mundo

O Financial Reporting Council (FRC), órgão regulador britânico para questões de governança corporativa, criticou uma série de empresas locais por fazer vista grossa para mudanças radicais presentes na última versão do código de governança da Grã-Bretanha, em vigor desde o ano passado, segundo reportagem publicada pelo jornal inglês Financial Times

De acordo com o FRC, muitas companhias realizam um “cumprimento estrito” das regras de governança, sem melhorar aspectos envolvendo a cultura organizacional, diversidade corporativa ou a participação de acionistas ou do público externo.

“Muitas empresas estão trocando uma cultura corporativa eficaz por slogans de marketing”, diz trecho defendido pelo regulador.

O novo código pressionou presidentes de conselhos de mais de 60 empresas, com mais de nove anos no cargo, a praticar o “pratique ou explique”, a fim de tornar as práticas da empresa mais transparentes. Ainda assim, a análise mais recente do código considerou muitas das explicações "particularmente ruins".

O FRC pediu que as companhias focassem em mais resultados envolvendo o código em 2020, com destaque para a eficácia das tomadas de decisão em conselhos e como isso levou a benefícios sustentáveis para acionistas e partes interessadas.    

Veja mais

Acompanhe as atividades do IBGC