Para Fiamma Zarife, diversidade inspira colaboração e inteligência coletiva

Em encontro com mentoradas, diretora geral do Twitter no Brasil falou sobre diversidade e inovação aberta na agenda dos conselhos

  • 12/02/2020
  • Mayara Baggio
  • Diversidade

Fiamma durante evento do Programa de Mentoria em São Paulo Foto: Kaique Alves/IBGC

“Mais do que uma boa prática de governança corporativa, a diversidade inspira colaboração e inteligência coletiva”, defendeu a diretora geral do Twitter no país, Fiamma Zarife, durante encontro promovido pelo Programa de Mentoria, iniciativa em parceria entre o IBGC, B3, Internacional Finance Corporation (IFC) e WomenCorporateDirectors (WCD). 

“Os problemas que enfrentamos atualmente são tão complexos que não podemos ter uma mesa [board] homogênea”, afirmou. A executiva dividiu com mentoradas um pouco de sua experiência no Twitter e em sua recente atuação como conselheira na Valid. 

Na visão de Fiamma, a governança tradicional, mais alinhada a modelos, incentivos e práticas a serem seguidos para gerar valor para a empresa, deve evoluir diante das recentes mudanças tecnológicas. “Só a deliberação não será mais suficiente para que os conselhos e as empresas acompanhem o ritmo de transformação que estamos vivendo. O cenário atual exige uma modernização desses conselhos, uma nova governança corporativa, um novo modelo”, disse. 

Ela explicou também como muitas companhias perdem oportunidades de inovação por não serem vigilantes ou não terem lideranças inspiradoras e defendeu a importância da diversidade para tomadas de melhores decisões corporativas. “A empresa vigilante não é aquela que tem apenas a liderança olhando possíveis sinais de inovação, ela precisa trabalhar o olhar, do board à recepcionista”, defendeu.

“A diversidade não prospera sem colaboração. Costumo dizer que a diversidade é chamar uma pessoa para a festa, a inclusão é chamá-la para dançar, mas a colaboração é vocês ensaiarem e inovarem nos passos juntos”, frisou.

Ainda fizeram parte do painel de debate o sócio-fundador da consultoria de inovação Innoscience, Maximiliano Carlomagno, e o cofundador do hub de inovação Distrito, Gustavo Araújo. Carlomagno foi enfático na afirmação de que os conselhos de administração devem definir de forma clara qual o papel da inovação no planejamento estratégico das companhias, evitando o risco dessa necessidade cair no esquecimento. Já Gustavo detalhou os desafios da função de conselheiro no sentido de colocar os negócios "nos trilhos", no melhor caminho do desenvolvimento. A mediação do evento foi realizada pela conselheira independente, membro da Comissão de Inovação e coordenadora do Capítulo Rio de Janeiro do IBGC, Cátia Tokoro. 

Veja mais

Acompanhe as atividades do IBGC