Em evento, IBGC aborda o papel da governança em escândalos corporativos

Atuação dos conselhos para uma cultura ética e íntegra nas organizações reverbera na análise de especialistas presentes no encontro

  • 16/03/2023
  • Gabriele Alves
  • Eventos

“Não adianta a empresa ter um código de ética bonito e as mentes mais brilhantes em seus comitês, se ela não acreditar, de verdade, que a governança é importante”. A frase é de Rogério Mota, diretor técnico do Instituto de Auditoria Independente do Brasil (Ibracon Nacional) na ocasião do evento “Escândalos corporativos: o que a governança precisa fazer”, promovido pelo IBGC na última quarta-feira, 15 de março, em sua sede, em São Paulo. A mensagem do executivo veio após um debate circunspecto sobre a importância da governança permear todas as instâncias das organizações, guiada por uma cultura ética na prática.

Nas modalidades presencial e on-line, o encontro – que reuniu associados do instituto e demais interessados – teve o objetivo de debater a contribuição da governança na prevenção e enfrentamento de escândalos corporativos, com olhar para alguns casos mais recentes, como o da Americanas, que afetou o mercado depois de uma dívida de pelo menos R$ 20 bilhões vir à tona, em 11 de janeiro de 2023.

Com moderação de Roberto Faldini, cofundador do IBGC e conselheiro de diferentes organizações, o debate seguiu na linha de discutir os possíveis agentes e as práticas de detecção de fraudes, os deveres das companhias abertas em comunicações ao mercado, além de operações frequentes que induzem às inconsistências contábeis. Sem esquecer a relação da governança corporativa com tudo isso.

De acordo com Sandra Peres, analista sell side do PagBank e conselheira da Apimec Brasil, no caso Americanas dificilmente um investidor pessoa física identificaria uma dívida como a que se viu, mas também os analistas financeiros teriam essa dificuldade, pois ao negociar com bancos a empresa continuou tratando como dívida de fornecedores, uma despesa que, na verdade, passava a ser financeira - sujeita a juros dos bancos com quem negociava. A prática, chamada de risco sacado é comum em empresas de varejo.

“O risco sacado não é um problema. Mas é preciso esclarecer como é divulgado e computado. Apesar do valor não surgir do nada e estar ali, ele foi incluido em um lugar que não era o certo. Não é que o montante não estava sendo contabilizado. O que não se sabe é se essa dívida é fruto de alguma inconsistência nas contas ou se foi uma fraude”, explicou Sandra.

A situação trouxe à tona debate sobre o papel da auditoria e as práticas internas de compliance nas empresas. “O que faz um auditor? Ele é um agente que parte da demonstração financeira elaborada pela empresa. Ele não participa da gestão da companhia, da execução e do monitoramento do controle interno. É um ambiente de controle interno e governança saudáveis que facilita o trabalho de auditor”, ponderou Rogério. Na visão de Marcelo Zenkner, sócio nas áreas de direito administrativo e projetos governamentais e de compliance na TozziniFreire Advogados, é a governança quem tem que prevenir situações assim.

“A governança permite o caráter preventivo. O compliance tem, entre os seus elementos, o controle interno, mas que não se confunde com a auditoria, que é posterior. Para que o compliance funcione bem é preciso garantir independência e autonomia ao compliance officer na organização", descreveu Marcelo, mencionando também que a Comissão de Valores Mobiliários, a CVM, por meio da sua instrução CVM 158, orienta às companhias que passem com mais clareza as informações das operações de risco sacado. Veja aqui.

De acordo com a 5ª edição do Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa, do IBGC, “a ética torna-se cada vez mais indispensável. Honestidade, integridade, responsabilidade, independência, visão de longo prazo e preocupação genuína com os impactos causados por suas atividades são fundamentais para o sucesso duradouro das organizações”. 

Confira as últimas notícias do Blog do IBGC

24/03/2023

Entidades assinam nota em defesa da Lei das Estatais

24/03/2023

Interiorização do instituto e mudanças climáticas marcaram a semana de V&I

24/03/2023

Conselheiro certificado do IBGC seja mentor no programa de startups

22/03/2023

PDeC inicia sétima turma, com 34 mentoradas

21/03/2023

CGI e CCLI publicam estudos sobre mudanças climáticas

20/03/2023

Como a estratégia da sua organização está sendo gerenciada?